Participação externa para o êxito do cooperativismo

O cooperativismo tem por princípio ser autogerenciado pelos próprios membros, que se organizam em cooperativas. Esse é um modelo econômico que vai além da dualidade entre capitalismo e comunismo, em que as pessoas visam ao lucro, mas não veem o dinheiro como objetivo final.

Um dos principais objetivos do cooperativismo é desenvolver o meio ambiente, a economia e questões sociais de forma sustentável.

Não é à toa que os objetivos do cooperativismo em nível mundial são ousados. Em 2012, a Assembleia Geral da Aliança Cooperativa Internacional lançou o Plano de Ação Visão 2020. A ambição coletiva é fazer com que o movimento cooperativista se torne, até 2020:

🏆 Líder reconhecido em sustentabilidade econômica, social e ambiental;
💚 O modelo preferido pelas pessoas;
📈 O tipo de empresa de mais rápido crescimento.

Os sistemas cooperativas e as cooperativas têm como princípio a autogestão. Transparência é palavra de ordem e é, de fato, colocada em prática. Todos os associados têm poder de voto para decidir cada passo que será dado em conjunto. Não há espaço para nenhum tipo de preconceito.

Mas se o sistema é autônomo e gerido por si próprio, onde há espaço para a participação externa?

O cooperativismo também precisa de processos otimizados para crescer

Como mencionamos anteriormente, as metas do cooperativismo global são audaciosas. Como o sistema é unido, cada um deve fazer a sua parte, seja em Londres, seja no Interior do Rio Grande do Sul.

Ciente dos benefícios que uma gestão sustentável faz a qualquer tipo de negócio, a Despertay faz sua parte para ajudar a ampliar a atuação organizada do cooperativismo no Brasil.

Flávia Santos e Simone Fonteles, sócias-diretoras da Despertay, atuam junto ao cooperativismo gaúcho e contribuem para que o sistema cooperativo alcance suas metas globais até 2020
Flávia Santos e Simone Fonteles (à esquerda), sócias-diretoras da Despertay, em uma das reuniões periódicas para implantar metas globais, de equipe e individuais

Estamos atuando junto ao Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Rio Grande Do Sul (Sescoop/RS) para otimizar processos internos e maximizar resultados externos do sistema cooperativo no RS.

Participamos ativamente dos processos para conquistar esses importantes objetivos globais, desenvolvendo nossa metodologia de gestão por resultados junto à diretoria do Sescoop/RS. São definidas metas globais, de equipes e individuais para os colaboradores do sistema.

O acompanhamento é feito quinzenalmente, quando são avaliados os resultados momentâneos e planejados os próximos passos a partir do que se tem concretizado.

Há espaço para atuação externa mesmo em um sistema com processos democráticos realizados por quase 7 mil cooperativas no Brasil. A consultoria empresarial em ambiente de cooperação torna a inovação ainda mais fluída.

Nós da Despertay contribuímos através de consultorias, assessorias e instrutorias para o fortalecimento e ampliação da atuação organizada das cooperativas no Rio Grande do Sul, pois estamos cientes da importância do cooperativismo para o crescimento econômico e social das empresas e do Estado.

Complemente seus conhecimentos

Quando falamos em sistema cooperativo, também falamos sobre liderança em grupo. E mais: é importante tomar decisões norteadas por análise de dados.

Por isso, indicamos também a leitura de outros dois posts do nosso blog:

Clique nos títulos abaixo e boa leitura!

Esse artigo foi escrito pelas nossas sócias-fundadoras e consultora Flávia Santos e Simone Fonteles

Como podemos ajudá-lo? Tem alguma dúvida sobre o assunto?

Envie um e-mail para despertay@despertay.com.br ou deixe um comentário nesse artigo, para que possamos produzir mais materiais que aprofundem seus conhecimentos.

Acompanhe a Despertay também pelo Facebook e LinkedIn.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *